segunda-feira, 24 de março de 2008

A você.

Olá vizinhos. Há muito não pude comparecer...desculpem-me. Fruto de uma vida desorganizada, além de ocupada. Mas isso está fora de discussão, atribuo o dolo somente a mim.

Mas não vim falar de mim. Vim falar de vocês. Provavelmente, você leitor convidado, está descrito. Antes de mais nada, perdoe a simplicidade, observe a essência do que dedico a você de forma especial, individual e direta, mesmo que não pareça. Acredite, vc foi tão específico como aquela pitada de açúcar que não pode faltar no molhor vermelho e tão necessário como um copo d'água após 3 horas de caminhada sob o sol das 12h em Bsb.

Durante cerca de 4 meses enfrentei um surto que somou dúvidas sobre o futuro, insegurança das decisões tomadas, uma descarga de minhas energias, confronto de fé e o mundo cético (real d+ para a fé). E não sou adepta da depressão tendo uma vida tão abençoada, muito menos de murmurações. Por isso, me calei. Decidi me achegar ao capitão do exército para ser fortalecida. Ele ficou tão caladinho. Quanto mais eu perguntava e pedia ajuda, ali no secreto de diversas madrugadas, nada acontecia. O grilo cantava, o cachorro latia, o despertador pertubava. Mas o silêncio Dele permanecia.

Esperei.
...
...
silêncio.
...
...
sozinha.
...
...

1ª palavra: "aprenda a transformar sua solidão em solitude" by Pr.André (culto dos jovens na IC da Asa norte).
2ª: "Você pode viver 4 dias sem água, 40 dias sem comer, mas não pode viver um dia sem esperança" by Pr.Larry (Choir - Cincinnati na ICB)
3ª: "minha pequenina missionária, love you" (hum...quase ñ apaguei esse scrap.Em tão pouco,disse mt)
4ª: "Mel, concilie as duas coisas. Olha onde vc já chegou! Se prepare, mas continue. Com certeza, de alguma forma, isso tbm será usado."
5ª: "eu te entendo, mas acho q deve tentar. Olha o tanto q já aguentou!? Contine, será bom, de alguma forma..."
6ª: "eu senti o mesmo no 3°, no 4°...na verdade eu nem queria começar! Mas Deus confirmou, e sabe, de alguma forma..."
7ª: "Mel, todo mundo passa por isso!!! não seja anciosa!! Acredite, de alguma forma..."by Pastorzão/paizão.
...

Ok, não serei negligente mt menos rebelde. Se pedi conselho, opinião e oração, pretendo acatá-los. Nenhum me agradou mt...afinal, não me deram passagem e schoolarship. Ao contrário, me puxaram para o chão, mas com carinho. Como o balão de gás q seguramos para não estourar no teto, assim foi o efeito de cada palavra.

Quando aceitei todos os conselhos e resolvi me acomodar sob uma visão bem negativa, percebi o quanto Deus estava falando comigo ao me dar uma grande conclusão.

A frase "de alguma forma" me frustrava mortalmente. Primeiro porque sustentava a possibilidade certa de concluir, e segundo porque abria um leque de possibilidades tão indefinível, que me sentia mais perdida e pertubada.

Após conselhos de jornalistas que admiro, tradutora talentosa, bancária bilingüi sensata, líder/conselheira chata, mãe nervosa só com o título da conversa, e-mail profético da tia q ñ sabia nada, entre outros. Encontrei a solução por meio de uma piada, daquelas q têm verdade na íntegra. Uma pessoa que sempre admirei e nunca esperei que tivesse tolerância para atender às minhas crises nesta metamorfose ambulante (não devido à impaciência dela, mas sim à pequenez e grau de distúrbio do caso), me ajudou.

É... enquanto alguns laços de anos me sugavam, exigiam, cobravam, questionavam meu sumisso. Outras pessoas que eu não pretendia recorrer, seguraram minha mão e me ajudaram sem perceber. Que dom inefável o de vocês. Ao serem bons ouvintes e sucintos conselheiros, me transmitiram a mensagem necessária, a essência da vida de vocês me ajudou a não agir por impulso nem a seguir com desânimo.

Precisei me esconder como a tartaruga que se isola no casco para se proteger. Estava aflita. Aquelas, não entenderam, não esperaram, não conseguiram me oferecer o pouco de bom-ânimo que eu precisei. Não as culpo...provavelmente estavam em seus cascos, me chamando para uma visita. Me perdoem, não pude ir.

Quanto a mim, não vim reclamar, vim agradecer.

Obrigada você pelo convite inesperado, que noite longa e divertida. Obrigada você pelo sanduíche e dancinhas q só nós malucos fazemos. Obrigada você pela dança espontânea em adoração. Obrigada você, tão culto, tão diferente, tão bem de vida, não se ateve em me ouvir com atenção. Obrigada você pela falta de tato e pela cômica sinceridade. Obrigada você pelas lágrimas compartilhadas, pequeno ser; pela oração e pelo olhar que transmitiu credibilidade que ñ encontrei em mais ninguém! Obrigada você pastorzão, por não me mimar, ser claro qnt aos fatos. Obrigada você líder/conselheira, pela angústia q me transmitiu ao ser direta e mãe. Obrigada você pelo olhar doce que lacrimejava enquanto eu sonhava relatando o que um dia vou viver. Obrigada você pelas mãos ungidas que trançaram meus cabelos...

Vocês me convidaram para sair do casco e caminha, mesmo que devagar.

Obrigada você, por conseguir, ao final de 4 meses, me ajudar a bolar a solução. Agora não penso mais que "de alguma forma...". Tenho certeza e sei "de que forma" vou conseguir motivação, força, inspiração e alegria, ao concluir esta fase com êxito acreditando ser apenas a primeira conquista de várias que terei, seguindo este sonho. Saí do casco. Inclusive, vou deixar ele de molho, não quero voltar tão cedo.

Não vou pegar atalhos, não vou destruir finais emocionantes dos capítulos mais importantes da minha vida, onde meu caráter será trabalhado.

Não estou me preparando para a promessa e buscando encontrar o Teu propósito, Senhor. Estou vivendo as promessas e exatamente no centro da Tua vontade, vivendo o Teu propósito.

"Como o ferro com o ferro se afia, assim, o homem, ao seu amigo" Pv27:17

Obrigada amigos! E eu que nem sabia o quanto o Capitão do exército respondia...

Eu reparo.

Eu escuto.

Eu obedeço.

Agora, eu vou viver.

4 comentários:

Lê Cami disse...

Sua sinceridade é que faz tudo ser assim. Sua autenticidade é que confere a realidade das suas palavras. Então, vamos viver.

Te amo, sis.

ricardo disse...


Será que estou por aí? rs

beijos Meleca!
ricardo

Marcia disse...

Mel,
Então chega de cascos, de silêncio e vamos viver!Existe um mundo a ser conquistado e, para isso, temos q começar daqui!
bjs!

Alexandre disse...

Bjs do jornalista admirado e sem tato!!!