quinta-feira, 27 de março de 2008

Dia porreta

Acordar em paz em dias posteriores ao feriadão de páscoa não é uma tarefa difícil.
Foi ocupado e cansativo, mas na essência, um abençoado feriado com muitas gargalhadas nos ensaios e nas apresentações.

Segunda-feira - acordei cedo, exausta, e fui pra faculdade com a responsabilidade de uma aluna que se atrasar 20min perde a presença. Para minha surpresa e resposta de orações, NÃO TEVE AULA! dia de reunião do corpo docente. Não vi nem gasparzinho na faculdade, mas tudo bem. Acreditamos nos informativos.

Terça-feira - correria, vida normal. Muito bom. Como se não bastasse gtalk e emails durante o dia com a Lee, lanchamos no fim do dia e a noite estávamos fielmente online para dar "boa noite". Fantástico.

Quarta-feira insana - não pude evitar o adjetivo - fui para o trabalho cedinho porque a demanda não era pouca.
Primeiro fato: fui encaminhar um link de um site em que havia sido solicitada alteração. Eu estava ouvindo música no youtube (In the secret by Shane and Shane) enquanto trabalhava no silêncio almejável (afinal, tribunal só "abre" após 12h). Para minha infelicidade, eu copiei o link da música do youtube em vez de copiar o link do site e enviei para o meu chefe e demais copiados. Imediatamente percebi a meleca que havia feito e fiz uma errata:
------------------------------- ----------------------------------- ---------------------------
Subject:"ERRATA - Portal CDD"
e-mal:
Desculpe o equívoco. Segue link correto com alterações.

www2.tse.gov.br/internacional/cdd

Att,
Melissa/SEAPI
-------------------------------- -------------------------------- ---------------------
A-P-A-V-O-R-E-I. Pedi ao Leão de Judá que em vez de curar cegueira, fizesse cego os de visão perfeita e detalhista. Ele me ouviu. Não houve bronca, nem e-mail questionando. Deu tudo certo e quem sabe até haja alguma conversão através do vídeo encaminhado?
Desde então, a tortura estomacal foi ativada.

Ao meio-dia teríamos culto, depositei nele minha necessidade de relaxamento. Trabalho, trabalho, trabalho. Culto. No final do estudo bíblico descubro que sou a pregadora da semana que vem. Geladão na barriga de novo. Mas amo ministrar.

Ótimo, segunda parte do dia:

"Reunião em 20 minutos, ok Mel? Precisamos acertar algumas estratégias."
"Mas tenho outra em 40min!"
"Será breve."
"ok"

Chequei os e-mails antes(e entendi porque é proibido ler e-mail pessoal durante o expediente - eles se preocupam com as reações):

"De: Talita...
Assunto: info"

hum... =/

"De: Bin Laden
Assunto: (nenhum assunto)"

Como se atreve a não colocar assunto em um e-mail tão... tão... tão... Ricardo, defina-o por favor.
Pára tudo! Bin Laden resolveu me visitar virtualmente.
Assuntos como minha espiritualidade, o caráter de minhas irmãs, a falta de qualidade das minhas amizades (e o Bin Laden?), etc. não estavam em pauta. Muito menos com ele que não entende nada nem da minha cultura.

PARA TUDO de novo --> REUNIÃO.

Enquanto isso, a úlcera da curiosidade me corrompia. De lá, fui para outra reunião. O chefe da respectiva seção, quando me viu, disse "É aqui mesmo a reunião?". Ficou pasmo com minhas trancinhas e a cara de adolescente intruso. Todos discutiram sistemas e eu sem poder falar muito (o que já é uma tortura). Mas eles discutiam sistemas, enquanto minha área é WEB. Coisas "DEFERENTES". Ok, após uma hora de paciência testada em plena TPM, vamos voltar ao e-mail terrorista.

------------------- ------------------------ ---------------------- -----------------
"Mel tem 10 chamados acumulados! corre pra fazer isso aí!"
Ai Jesuis, a azia misturou com úlcera, gastrite e qualquer outra doença no sistema digestivo. QUE DIA! Não vai acabar?


Trabalhava e recebia e-mails de reação ao do Bin Laden, que fiz questão de seguir a sugestão de encaminhá-lo.
Ninguém mais fala de guerra!
Por que você ainda se acha o centro das notícias?
Ninguém mais te procura nas montanhas afegãs!
Por que você quer que parem de te procurar?
Ninguém mais lembra do seu nome!
Cortar contato! te esquecer!
Havia contato? who remembered you?
Se você não se importa, nem se lembra e é tão feliz distante:
COMO ASSIM ME MANDAR INSULTOS VIRTUAIS?
Que decepção Bin Laden, depois das Torres Gêmeas, achei que você fosse mais forte. Ao menos mais inteligente em suas idéias estratégicas. Você pode ir mais longe do que isso, mas se prende à necessidade de causar polêmica e reação pública para, pelo menos, não serem indiferentes à sua existência.
-------------------- ------------------------ --------------------------- ---------
Em meio a muito serviço, reações sentimentais diversas ao e-mail. Fiquei impressionada de você conhecer meu idioma. Não foi muito bem na escrita, mas acredito que seja melhor na fala. Claro, fala esta que não mais contemplarei. Fui proibida.
Tão maduro! Fique impressionada com a religiosidade e fundamentação mulçumana ao defender seu radicalismo. Realmente... reflexivo.
Enquanto terminava detalhes nas alterações de sites, uma equipe de marceneiros entra na sala e começam a furar a porta, lixar a parede, deslocar pau pra cá, pau pra lá. Alguns param e observam a solitária adolescente com trancinhas. Nunca pensei que um penteado fosse atrair tanta atenção.
Olhavam, rodeavam, comentavam, mas trabalhavam? aff.
Cansei. Faltou terminar 3 chamados. Levantei falando sozinha "nháaaa, só queria uma carona." Me espreguicei sem poupar gemidos inexprimíveis.
Fui.
Resolvi ir comer bomba em homenagem ao e-mail!!! Genial!
Daí, me encontrei com péeeeeessimos amigos, pessoas sem caráter, que desejam meus cabelos duros de "pixaím", que querem todos meus namorados, inclusive divulgam isso pelos veículos de informação virtual mais fúteis existentes, que mentem, que fingem, que fazem piadas de mim nas minhas costas, que usam do meu passado e dos meus segredos para me atingir. Sim, saí com eles. Não para discutir.
Para ser feliz.
E fui.
É terrorista...você é realmente - ATERRORIZANTE.
Em um passado próximo eu intercedi e mantive bons sentimentos a seu respeito, afinal, aquela conversa, foi real dentro de mim. Sobretudo... agora...
Apesar de você, só desejo justiça. E aguardo ansiosamente.
Apesar do e-mail, obrigada por tudo que me desejou. Que volte em justiça³.
Que dia porreta, me ensinou muito, mas de todas as lições, enfatizo a que me fez feliz:
Comer bomba com extra-extra-extra maionese, é sempre uma boa opção.

9 comentários:

ricardo disse...


Good evening, infidel

kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Desprezo e riso e em breve teremos mais um corpo estendido nas calçadas do Pátio Brasil... Terrorista morto e burro, vai acabar tão sozinho que nem vai conseguir matar ninguém quando se estabacar no chão...

beijos, ricardo

Control+Alt+Del disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Control+Alt+Del disse...

WOOOOOOOOOOOOOOW!
ou..."kkkkk" ou "huhauahu"
não sei qual deles demonstra mais minhas risadas momentâneas. Aliás, acho que vou reler esse post, em especial, td vez que estiver precisando rir. Mel, eu amo seus cabelos "pichaíns" mas já tenho os meus em bowa quantidade. Será que alguém tbm quer o meu?!!! hihihi

Existem coisas que só sendo PHD em "Teoria do Terrorismo", por isso resolvem se explodir pra matar os outros. Coitados. Ainda não perceberam que o primeiro a morrer, é o(a) próprio(a).

Como diz meu amigo Max: "Perdoar não é dizer que a pessoa que o magoou estava certa. É adimitir que Deus é justo e fará o que é certo."
;)

À(ao) terrorista: O veredito, pertence a Deus. Não queira executar o trabalho Dele.

Marcia disse...

Mel,
só tenho uma coisa a te dizer:
se Bin Laden insistir, junte seus péeeeesssiiimooooosssss amigos e BOMBA no terrorista! ( com direito a extra-extra-extra maionese) - Mas vê se dessa vez me chama né mala!!!!!!
bjs!

Tita disse...

Absolutamente genial. Palavra por palavra. Bomba e chocolate estão aí pra nos acompanhar nesses momentos.

Mas é sempre interessante reconhecer que aquelas velhas frases feitas às vezes se provam reais. Afinal, a angústia diminui em proporção inversa às horas. Hoje, esse e-mail tem menos poder do que ontem, e daqui a uma semana, ele será só um fato quase cômico do passado.

Eu me recuso a receber esse "presente" do Bin Laden, ele que fique pra ele ou o devolva onde comprou. De repente dá pra trocar por uma bombinha de festa junina pra tentar atingir outro.

PS: Não deleta não...

Lê Cami disse...

Adorei, simplesmente. Foi ótima a descrição. E ótimo ver como vc reagiu à carta-bomba do Bin Laden de araque. Tô com a Tita: deleta não. Beijos.

Marcia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luna disse...

hihihihi adorei a história, mel...
ainda mais o bin laden...lara me contou ohohoho...como vc ta, xuxu????
estou aki apreciando o seu jeito de escrever...e parece as vezes q to lendo alguma coisa minha...mei revoltada...engraçado hihihihihihiih
boa quarta, flor...amu vc

www.leialuna.blogspot.com disse...

fiz um tbm..
seja bem vinda viuuu
amuuuuuuuuuu