domingo, 10 de agosto de 2008

Lágrimas de um violão

Começa a piadinha na semana do dia dele. "Eu nao vou ficar pedindo presente...mas minhas filhas sabem q um violao com as cores da bandeira do flamengo é o presente ideal...quem sabe eu nao acabo ganhando?!" hehehe... Com brincadeirinhas de jogar indireta, ele sempre nos ajuda a acertar no presente certo. De chinelo à CD do Guilherme Arantes, é fácil acertar com um pai de personalidade atípica.
Na sexta-feira a Lara me informa "Mel,eu e a tita queremos comprar um violao pro papai". Logo eu disse "Tem q ser em taguatinga, o preço é mais favorável e encontraremos vários modelos."
Sábado fomos executar o planejado. Eu e a Lara, sem carro, carona e sombra, peregrinamos de metrô até Taguá-center. Toda aquela muvuca nos empurrando, mas fomos cantando, saltitantes, fazendo palhaçadas no meio da rua. Chegamos em uma loja e logo vimos o mais bonito, pegamos sem olhar o preço. Depois fomos estudar a qualidade do produto; cordas de aço, propagação do som com maior proporção, da marca Eagle, cor linda, modelo clássico, afinador digital e entrada para amplificador. UAU!! Pensei "se é pra fazer dívida, vamos caprichar. Vamos dar um violão novo em troca de um velho, então, que seja novo de verdade."
O violão velhinho já tem mais de 20 anos, esse aqui poderá durar os próximos 30.
Levamos sob o sol ardente, eu e larinha caminhando e sorrindo, felizes por poder comprar um presente tão bom pro papai. Não sabíamos ainda o impacto que ele causaria, mas o sorriso cheio de gratidão era previsível. Chegamos em casa e escondemos. No domingo pela manhã, fomos dar "feliz dia dos pais" ainda de pijamas, ele ficou procurando o presente e fazendo gracinha (como sempre...). Quando a Lara chegou com o violão, o papai não conseguia reagir; começou a falar "Não, pera aí, eu tava brincando!!" eu logo avacalhei "relaxa pai, dentro da capa só tem chocolate...". Quando ele abriu a capa e viu o violão, seus olhinhos brilhavam como de uma criança que entra na disney. Não, não, olhos de uma criança do sertão nordestino que ganha uma sardinha e uma garrafinha de água fresca.

Então ele começou a testar; afinou as cordas e começou a dedilhar sem tirar os olhos do instrumento. Aos poucos, ainda com a garganta provocando tosse, começou a louvar a Deus com os olhos fixos no violão:
"Eis-me aqui, outra vez, diante de Ti abro meu coração. Meu clamor, Tu escutas e fazes cair as barreiras em mim. És fiel Senhor e dizes palavras de amor, esperança sem fim, ao sentir Teu toque, por Tua vontade libertas meu ser... no calor deste lugar eu venho me derramar, dizer que te amo, me derramar, dizer-te preciso, me derramar, dizer que sou grato, me derramar, dizer que és formoso"

E ele realmente começou a se derramar. Não conseguia cantar porque chorava. Adorava a Deus, se esforçava para repetir o trecho "me derramar, dizer que sou grato" e todos nós começamos a adorar e chorar. Ele explicou o pranto enquanto tocava "...eu me lembrei de todos os violões que já tive."(...) "é lindo demais, um sonho ter um violão desse".

Nos abraçamos, as filhas, a esposa... um momento de silêncio e emoção. A família memorizou o momento precioso de um sonho sendo realizado. Agradecíamos a Deus no nosso íntimo por um instante de tão profunda alegria. Ele sempre nos contava sobre seu primeiro violão, feito com lata de óleo e fio de aço que ele pegava na rua e tocava se esforçando pra ser o melhor músico da rua. De repente, ele ganhou o melhor modelo, a melhor sonoridade, o precioso instrumento para adorar com excelência.

Meu pai é excelente, ele merece um violão novo. Foi só o primeiro de muitos sonhos que Deus realizará na vida dele. Que esse instrumento o inspire a adorar como suas lágrimas nos inspiraram a amar cada dia mais essa fraternidade.

Com tão pouco, pudemos dar tanto! Valeu a pena cada esforço.

O sorriso era previsível, as lágrimas, não. E ver a emoção de um pai-herói ter um sonho realizado, não tem preço. Fui dar um presente e acabei sendo presenteada...

O som da sua voz... o louvor de um humilde coração... e as lágrimas de um violão.
Te amo pai.

2 comentários:

Lê Cami disse...

Lágrimas de novo. Que lindo seu texto! Que lindo o momento que descreveu! Pensando em tudo o que está para acontecer da vontade de ler de novo, e de novo, e de novo! E penso eu no MEU pai. Ele ganhou um pijama. Que diz "Pai coruja" tem uma corujinha de olhos arregalados do lado. Dei um igual pro pai dele, mas, claro, coma inscrição "vovô coruja!", hehe.
Numa família de japoneses, olhos abertos são raridade (não podia perder a piada). Mas meu pai usou a camiseta do pijama, orgulhoso, durante o culto de domingo à noite, quando fui à igreja dele cantar, especialmente, para ele. E apontava para a camiseta, justificando seu caminhar lento no meio da igreja, com uma filmadora, registrando o evento de todos os anos: eu - cantando - em homenagem a ele. E mesmo assim, ele ainda sente que é o melhor dos presentes (por favor, um lenço! hihi).

Larinha, Lara ou La ... disse...

Sempre tive curiosidade de que a imagem de meu pai sentado ao meio-fio, com uma lata de óleo e algum tipo de cordas ecoando um som "afinado" viesse a ser visível. Mas foi muito mais emocionante. Muito mais emocionante vê-lo realizar um sonho, ou com um sonho realizado. Se esse violão viesse antes, talvez não seria assim. Se viesse depois também não seria assim. Veio na hora certa! Deus nos deu o dinheiro na hora certa. "no tempo de deus, é BELO e SOBRENATURAL" me lembro claramente do comentário feito pelo "chorão": "isso é confirmação do meu ministério..."