quinta-feira, 21 de agosto de 2008

Neste momento...

Tratando-se de buscar os frutos e não os dons, tudo fica mais difícil. O diagnóstico que me deram eu rejeitei enquanto pude. No passado eu fui tão boba alegre que nada me atingia. Tudo era motivo de reações explosivas, sendo estas amorosas ou não, me faziam bem. Tirava a paz de todos e conservava a minha. E como é interessante este apego ao que se tornou antigo, com o tempo, a força também envelheceu e se não foi renovada há um problema na fonte escolhida para isso.
É tão bonita a facilidade de reconhecimento, mas tão medíocre o raciocínio auto-pejorativo. E tudo é fruto do extremo cansaço emocional. Qualquer sopro pode me derrubar, de tronco e raíz, passei a ser a folha ressecada. A desunidade e a falta de perdão sugaram a energia doce de viver que me conduzia. Tudo era amor e alegria, os problemas eram rima para as melhores piadas.... novamente, remetendo-me ao passado. Como isso é feio. Quanta fraqueza e fulga do presente que bloqueia qualquer provável observação positiva do momento.
E discursos bonitos não me ajudam, nem palavras duras que escrevem a verdade. A ajuda não me alcança por eu não permití-la. Até quero, só não consigo.

Faz tempo que o declínio me carrega e nenhum sorriso mais é capaz de me sarar. Minhas palavras tem-me feito perder tudo. Meus medos me transformaram em assombração. Talvez um abraço sincero possa me curar. Tenho esperança na distância que transforma as origens apenas em recordação momentânea. Que a passagem de partida chegue antes de eu acordar,pois a mala já está pronta, só me resta decolar. Que o tempo desapareça para ser esquecido e eu nunca mais me remeta ao passado, pois se tornará desconhecido... e que o silêncio que produz paz, seja pra sempre, meu único e melhor amigo.

Me ame quando eu menos mereço, porque realmente é quando eu mais preciso.

4 comentários:

Larinha, Lara ou La ... disse...

. . .
Te Amo e você não precisa merecer, nem precisar.
Amo você irmã.

Lê Cami disse...

Eu tento. Mas vc não deixa.

ricardo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ricardo disse...


O querer, descasado do efetuar, não vale nada.

De que adianta querer acordar mais cedo que o costume se eu não ativar o despertador? De que adianta querer ter uma barriga de tanquinho se eu não faço uma dieta ne, entro na academia?

Toda mudança necessita de ação. Quer seja abrupta, radical ou gradativa, qualquer que seja é necessário agir. O que não pode é se deixar levar pelas ondas, pelo vento, esperando que o tempo ou as circunstâncias possam resolver alguma coisa. Circunstância não é remédio, tempo não é médico.

Sinceramente, não quero fazer um discurso bonito ou usar palavras duras. Falo a verdade: te amo!

beijos, ricardo